Loading...

Poesia | Declamação ao vivo (2 pessoas) **

200,00

Poesia | declamação ao vivo

30 – 35 minutos | 2 pessoas

** se os poemas forem escolhidos por quem declama com base num tema, características da pessoa, etc

Ouvir aqui e aqui

© Silvit Nik (fotografia)

Descrição

Nas palavras do poeta cubano José Martí, “Um grão de poesia basta para perfumar todo um século.”

No talantia poesia manifesta-se sob a forma de dois conceitos: declamada ao vivo num momento comemorativo especial ou redigida para ser apreciada na ocasião perfeita.

Duas formas que procuram estar à altura das aspirações de quem quer oferecer este presente: alguém que põe no papel o que lhe vai na alma ou que tem na voz a entoação perfeita para fazer ecoar as palavras da forma mais sentida.

No que respeita à declamação, a escolha dos poemas será um processo criativo conjunto entre quem oferece e quem declama. A selecção pode contemplar poemas da autoria de quem oferece, ser um repertório já seleccionado, ou ter um tema ou estilo previamente definidos, a partir dos quais será sugerido um conjunto de poemas pelo declamador.

 

 

Informação adicional

Prazos

Declamação ao vivo – dependente de disponibilidade para o dia/hora em questão.

Artistas

Anabela Caetano

Da casta de 89, com origem no extremo sudoeste da Beira Baixa, na conhecida aldeia do Porto dos Fusos, e encantada pela envolvência Lisboeta, Anabela encontra-se (muitas vezes) na magia da vida e no faz-de-conta através da declamação e do teatro. As palavras são para ela um rio de águas calmas e refrescantes.

O interesse pelo corpo e pelas emoções levou-a até à psicomotricidade. Ao trabalho em clínica acrescenta funções de investigadora na área das ciências socias e humanas.

Nas suas memórias contam-se a experiência em teatro desde os 13 anos e, mais recentemente, a sua participação enquanto protagonista no filme O Primeiro Verão, que lhe valeu o prémio de Melhor Atriz Principal no Festival de Cinema da Figueira da Foz 2014.

——–

Zé Luís C

Nasceu no Minho e por isso não dispensa a tora no caldo verde. Vive em Lisboa como flâneur da cidade, espirrando poesia, flores e inquietações. Foi autor do projecto Sinal de Alarme e trabalha em Teatro e Comunidade. Pertence ao Colectivo Meia Dúzia de Oito.

Extras

Tem de ser assegurado sistema de som pelo espaço que recebe a declamação se a mesma for para mais de 30 pessoas.

Gravação Áudio

Existe a hipótese de reproduzir a declamação em ficheiro aúdio (segundo orçamentação).